terça-feira, 2 de agosto de 2011

"Não tenho tristeza, a felicidade toma conta"

Para mostrar que a felicidade existe, apesar de todas as dificuldades, o blog "A gente vai indo..." vai contar essa semana a história de Maria do Carmo de Miranda, de 62 anos. Ela mora no bairro São Geraldo há 30 anos. Com toda simplicidade e com um sorriso contagiante, Maria do Carmo nos mostrou que a tristeza não tem lugar! Vem com a gente!
  

Em uma casa simples, de cômodos pequenos, Maria do Carmo vai vencendo um dia atrás do outro. Nessa casa, Maria do Carmo criou as três filhas, duas casadas e uma falecida muito jovem, aos 26 anos, além dos quatro netos, dos quais cuidava enquanto as mães trabalhavam. Maria do Carmo não teve a oportunidade de frequentar a escola, até hoje não sabe ler e escrever, e, desde cedo, trabalhou fora como doméstica e babá, serviços que teve que abandonar conforme a idade foi chegando e os problemas de saúde se manifestando. Viúva há 20 anos, a senhora vive com a pensão que o marido deixou. As duas filhas moram próximas à Maria do Carmo, no mesmo bairro. O neto Juninho, de 7 anos, é o companheiro inseparável, claro que junto com o coelho Bolinha!


 Maria do Carmo vê na FÉ motivos para se levantar todos os dias, pois é essa mesma FÉ que a faz sorrir todas as manhãs e lutar para alcançar o sonho que tem. Hoje o sonho da Maria do Carmo é ter uma casa grande e bonita. Mas com o orçamento apertado o desejo fica um pouco distante. A casa onde ela mora tem dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Todos muito pequenos. Quando ela trabalhava e o marido ainda era vivo, aos poucos iam reformando a casa, hoje, com a casa ainda em construção, ela não foge do serviço e faz pequenas reformas apesar da idade um pouco avançada. Foi Maria do Carmo quem fez questão de assentar as portas dos quartos, o piso e até colocar a pia da cozinha.





Mas enquanto o sonho não se realiza, Maria do Carmo encontrou uma maneira de ter a casa dos sonhos bem ao alcance das mãos. Ela constroi verdadeiras mansões com materiais recicláveis, como papelão, CDs e varetas de pipa! É isso mesmo! A senhora memoriza as belas casas que vê na rua e aos poucos transforma o que seria lixo para outras pessoas e enquanto isso não pensa nos problemas pelos quais já passou.
"Enquanto eu faço as minhas casas, eu esqueço dos problemas que eu tenho."



E como toda pessoa que tem um sonho, Maria do Carmo nunca desiste. Para ela, em breve a casa bonita que tanto desaja se tornará realidade.

"Um dia DEUS dará minha casa. Ele é poderoso!"

3 comentários:

Here I am..... disse...

Cada vez melhor suas Historias- adorei!!

Elisa Franco disse...

Muito legal! Vou com vocês!

agentevaiindo disse...

Pessoas queridas, obrigada por vir com a gente!

Postar um comentário